Se somos seres tão únicos, qual é o nosso estilo de ambiente?

Descubra já o seu!

Quando iniciei a minha vida profissional como designer de interiores, tinha a convicção de que queria cria ambientes personalizados e conectados com cada cliente que me procurasse.

Naquela época fui visitar em São Paulo, uma mostra importante de interiores e ao entrar em cada ambiente ouvia: ah, só podia ser o ambiente de tal profissional, veja como se reconhece o estilo e tal. Nestes momentos uma dúvida me assaltava o pensamento, como este profissional será capaz de atender aos anseios de cada cliente sendo que o estilo dele é a representação da sua própria personalidade?

Esta pergunta ficou comigo por muito tempo, embora eu praticasse exatamente o contrário, procurava identificar os aspectos mais importantes dos anseios, do estilo, da personalidade de cada integrante de um projeto para talhar sob medida a solução que criasse conexão dele com seu espaço, mesmo assim a curiosidade me acompanhava.

Tempos depois em uma entrevista sobre Design de Interiores que participei,  fui perguntada sobre qual era o meu estilo, neste momento de indagação tudo se encaixou, eu organizei as ideias e raciocínio e respondi que meu estilo era o de interpretar com a maior exatidão possível as aspirações do meu cliente e propor um projeto que fizesse sentido e criasse conexão com ele, pois ao terminar meu trabalho, o espaço será desfrutado por quem encomendou a solução e não por mim, então, qual seria o sentido de eu ter uma marca registrada que me distingua e eu repita na casa de todos?

Para entender melhor o estilo próprio, esta expressão personalizada e de individualidade, temos que olhar os cânones que temos em mãos, que são os estilos que predominam no mundo ocidental e neste período da história humana, então compilei onze estilos para que você leia atentamente e veja onde você se encaixa melhor.

Primeiro devemos conceituar os principais estilos para se ter um conhecimento e ver o que está presente em cada um deles, como ele se apresenta em linhas gerais e como nos sentimos com cada um.

Esta conceituação vai nos ajudar a avaliar onde as nossas preferências estão, elas vão começar a ser conhecidas para nós.

Numa breve lista de estilos podemos citar onze:

1-Contemporâneo e o moderno que se caracteriza pela pelas linhas retas, cores claras, muito branco e madeira, com algum toque de cor forte. Contemporâneo significa atual, recente, novo.

Já o modernismo é uma denominação do movimento representado por Mies Van der Rohe, Le Corbusier, Escola Bauhaus, Niemayer, etc. Este estilo tem regras muito próprias, como regras de proporção, valorização do vazio, formas orgânicas e geométricas, aqui a função ganha destaque.

O estilo Moderno na arquitetura nasceu em oposição ao Neoclássico que era o estilo que predominava na época, no final do século XIX e perdurou até inicio dos anos 80. Caracterizado pela simplicidade, espaços vazios, linhas retas, organicidade, proporções chamados de Modulor, sistema elaborado pelo arquiteto franco-suíço Le Corbusier, também cores claras, paleta de poucas cores com inclusão de vermelho, preto e branco. Então contemporâneo e moderno tem datação, onde contemporâneo representa o nosso tempo, aqui e agora, neste período e moderno faz parte do movimento modernista que se iniciou na Europa nos idos 1.900.

Interior no estilo contemporâneo
O contemporâneo se caracteriza por usar materiais do nosso tempo, arte e design.

2-Clássico que se caracteriza por uso de peças clássicas e opulentas, lustres de cristal, tapeçaria, adornos em dourado. O clássico praticado hoje é fortemente influenciado pelo contemporâneo. O estilo em si é muito mais estético do que funcional. A datação da idade antiga, na Grécia e depois Roma, 800 a.C-476. E este serviu de modelo para a produção do Neoclássico ou movimento Classicizante. Não é de hoje que o passado reescreve o presente.

Não podemos esquecer que o clássico no design de interiores é luxuoso e sofisticado, permite livremente peças em dourado, boiseries (molduras) e tem como referência a cultura greco-romana. No mobiliário as peças são elaboradas, com volutas, detalhes de entalhe, douração, veludo nos sofás com capitonê e cortinas pesadas.

3-Rústico ou campestre que se caracteriza por uma atmosfera de campo, predominância de uso de madeira de modo mais rústico, sem tanto acabamento, a paleta de cores é neutra, elementos naturais como tijolo aparente e pedra são frequentes. Muitas vezes a madeira se apresenta com acabamento mais rústico com pouco acabamento, o funcional sobrepõe o estético.

Estilo rústico
Aqui temos um exemplo de rústico com a presença da madeira de modo predominante. Há exemplos de rústico com maior rusticidade aplicada aos móveis.

4-Escandinavo que se caracteriza por criar ambientes aconchegantes, atmosferas leves, cores claras, predominância de design nórdico que se caracteriza por moveis muito bem construídos em madeira, por artesãos locais no mobiliário. Tudo chama ao aconchego, aliás vem dai o conceito Hygge (pronuncia-se Riulga) que visa o aconchego e conforto, a conexão social e com a natureza dentro dos ambientes com muita luz natural. 

Os materiais são táteis, gostosos de tocar, plantas naturais estão sempre presentes. A madeira e os materiais naturais como algodão, lã e pele.

Cores claras, madeira, luz natural, plantas naturais.

5-Japandi que parece um pouco com o escandinavo na simplicidade formal, funcionalidade, mas na parte de acessórios, fica mais marcado pela influência oriental, como luminárias ou lanternas orientais, portas e móveis de madeira, divisórias com vidro opaco, papel arroz e também arranjos Ikebana.

Referências de simplicidade, cores como branco, preto, vermelho são muito característicos, além de madeira clara.

6-Industrial que se caracteriza por ausência de forro, instalações aparentes, preto e cinza, estruturas metálicas. Nascido em razão de transformações de galpões industriais em moradia em Nova York, os famosos lofts com sua integração de espaços. Funcionalista e austero nos acabamentos.

observe rusticidade da parede, cimento queimado no piso, cores fortes para contraste e peças metálicas.

7-Minimalismo ou Clean que se caracteriza pelo essencial, nada fica como puramente adereço, as formas são valorizadas, poucos objetos. O estilo começou no pós guerra e a escassez  característica era clara, depois tomou um ritmo também de ser uma filosofia de consumo, buscando apenas o essencial. O clean que também é muito apreciado e se caracteriza por linguagem essencial e pouco adorno, linhas geométricas e limpas.

Tudo muito limpo, claro, organizado, linhas retas.

A oposição ao minimalismo que se caracteriza por ter-se apenas o essencial, está o maximalismo, que permite espaços abarrotados de objetos e informações visuais.

8-Tropical que se caracteriza por estampas fortes, cores marcantes, muitos elementos da natureza tropical. Mobiliário em madeira.

Estampas de folhas, de modo bastante expressivo e colorido com tema na fauna e flora.

Dar uma passada em cada estilo descrito acima para ver o que te representa mais, mas calma, precisamos falar ainda de um estilo que permite fazer um mix de muitas tendências com liberdade de expressão que é o eclético com seu próximo que é o Boho.

Observe a arte com folhas verdes e exuberante.

9- Eclético onde também dá para incluir o Boho, caracterizados pela liberdade de misturar oriente com ocidente, cores, novo e antigo. Contrastes surpreendentes, misturas inusitadas mas fazendo sentido no conjunto. 

Normalmente ouvimos o termo Boho-chic, pois a origem deste estilo veio da cultura hippie, quando o trazemos para a casa, ele recebe um tratamento mais elaborado e passa a ser Boho-Chic. Seus elementos são  dramáticos, móveis claros ou coloridos, mistura de estampas, pendentes de iluminação, cestaria, flores secas caracterizam o estilo.

Ainda colocar aqueles mais nostálgicos e que valorizam épocas passadas.

Observe as texturas, materiais naturais, peças em escala grande, fibra natural, este é um exemplo de Boho-Chic.

10-Vintage e retrô, que se caracteriza por ter peças consagradas de design no século XX e são sempre referência ao tempo passado. O vintage usa móveis do intervalo de tempo no século XX, entre as décadas de 20 e 80 que são designs consagrados produzidos nesta faixa de tempo. Já o retrô fala de estilos passados ou mesmo de um renascimento ao estilo rock and roll como sendo uma referência saudosista de um período passado..

Referências do Design.
Peças características de uma época .

E finalmente os queridinhos que incluem uma boa dose de lirismos.

11-Provençal e Romântico, agrupei ambos para citar o estilo que se desenvolveu na região francesa de Provence e pretendia trazer algo da decoração palaciana para casas pequenas e poucos recurso. Eles vieram para trazer moveis ligados ao romantismo clássico e de tempos passados.

Elegante e elaborado.

O provençal ainda é muito apreciado embora seja bastante antigo pois surgiu no final dos anos de 1.700.

Já o romântico, surgiu no período de 1800 na Europa, leve, suave, feminino. Caracterizado pelos babados, laços em tons pasteis, muito usado para quartos.

12-“Coastal” ou Praiano, é o estilo que traz a atmosfera leve e fresca da praia, nos tons de areias e conchas e é claro das cores do mar, este clima pode ser usado seja onde for. Um bom exemplo de praiano é o estilo Hampton que é o nome de uma localidade nos Estados Unidos, próxima a Nova York e que abriga lindas casas. Ele tem um mix de estilos sofisticados mas com resultado clean. De modo geral o branco e o bege predominam com a forte marca do azul ou verde, se utiliza também de boiseries, lustres de cristal e colunas. Também usa fibras naturais e muita luz natural.

Observe a influencia do clássico, as cores leves, a presença do azul. Este é o Hampton.

13- Asiático, quem aqui não se lembra do Taj Mahal, um lindo monumento da arquitetura do sul da Ásia ou mais precisamente da India, esta lista de países e seus estilos peculiares é grande e nós da parte ocidental do mundo talvez não estejamos tão familiarizados. No norte da Ásia temos o estilo Russo. Da Ásia Central e sudeste da Ásia, Oriente Médio e Extremo Oriente. As características são diversas, algumas muito ornamentadas como é o caso dos países árabes, outras mais clean, marcados por cores fortes no detalhe, como é o exemplo dos interiores japoneses e que já citei a sua apropriação de modo ocidental no Japandi. Estas culturas são riquíssimas em história e singularidades.

Cores intensas, estampas, cores são características no sul da Ásia.

Listei aqui estes treze principais estilos mais usados no momento, após uma boa análise de cada um, por exclusão você vai poder se encontrar em um deles pois esta descoberta é um processo de se auto conhecer em suas preferências e o que faz sentido para você. 

Quando escolhemos um estilo é como dizer que no teatro da vida, desejamos um tipo de cenário do ponto de vista de aparência, mas claro os ambientes tem além de aparência muitas outras funções importantes, como as funções a que deve atender, cores de contexto e predominantes,  atmosfera, conforto termo-acústico, iluminação entre tantas outras, mas tudo isto submetido ao estilo ou estilos escolhidos.

O estilo também é a forma que queremos ser vistos pelo outro, como nos apresentamos e o que queremos dizer ao mundo.

A personalidade se expressa na materialidade através do conjunto de elementos pertencentes ao estilo, em seu modo de composição em cada detalhe.

A sua casa é um palco único, lembre-se, o projeto tem como função harmonizar, organizar e dar o melhor uso ao ambiente, com os melhores recursos e materiais, mas o protagonismo e a conexão são suas!

Gostou? Deixe seu comentário e compartilhe!

Obrigada por estar aqui!

Maitê Orsi

http://Contato

Deu ruim na obra?

Saiba como evitar erros de andamento na obra.

Erros são inevitáveis, por maior que seja o controle! Devemos ter a consciência de que é preciso tentar mantê-los próximo de zero e depois de acontecerem serem bem resolvidos.

O pilar central de qualquer construção ou reforma é sempre o projeto executivo.

Ele é composto de plantas, cortes, detalhes completos, imagens em 3D, especificações e todas as informações necessárias para orçamento, para a execução de projetos correlatos como instalações, para a contratação de mão-de-obra e propriamente a execução ou materialização do que foi projetado na obra.

Algumas folhas do projeto executivo, com todas as informações necessárias para o bom andamento Sá obra.

Com todos os cuidados e cronograma definido, ou seja prazos definidos, tudo calculado em quantidades e andamento, neste projeto executivo que é a nossa base de dados.

As compras devem ser programadas, mão-de-obra escolhida de acordo com o tipo de trabalho a ser feito e tipo de acabamento desejado, sintonizados de acordo com a expertise de cada fornecedor.

Instalação de espelho com iluminação back-light.

O andamento deve ser cautelosamente acompanhado, porém ainda assim tem uma verdade operante em toda em toda atividade complexa, como uma obra, mesmo cuidando de tudo nos mínimos detalhes, algo ainda pode dar errado!

Nada como uma boa estória para contar

O casal de clientes nos procurou, seu apartamento mesmo sendo novo e recém entregue, precisava de troca de revestimentos, por não estar de acordo com as expectativas deles, também havia necessidade de soluções para passagem de infra estrutura de ar condicionado, as soluções para a melhor ocupação do espaço com os móveis, alguns já existentes e outros a serem feitos para alcançar a ambientação adequada ao perfil dos ocupantes.

Hora de mãos a obra e projetar!

Muito bem, o estudo preliminar pronto, foi apresentado, aprovado, o projeto executivo foi feitora sequência e orçamentos solicitados.

Iniciamos a obra pela remoção de pisos e revestimentos, as compras de revestimentos já estavam programadas para entrega, pois seriam os primeiros a serem instalados.

Tudo seguindo seu curso, o material de revestimento chegou o início do assentamento está organizado para o dia seguinte.

O material escolhido foi um belo porcelanato claro para os banheiros com outro porcelanato amadeirado como detalhe.

Para a cozinha o porcelanato branco.

Mas quem diria, problema já estava no local

O material estava entregue na obra, as caixas foram conferidas externamente e seus códigos de etiqueta demonstravam que estava tudo certo.

O assentamento já estava adiantado pois um dos banheiros já estava quase pronto, ao buscar mais material, o assentador descobriu uma cor mais clara dentro do lote de caixas de porcelanato dos banheiros. 

A etiqueta estava certa e o produto dentro da caixa estava errado

Surgiu a dúvida imediata, qual das duas é a cor certa? A etiqueta de identificação do produto posta pela fábrica era exatamente igual em todas as caixas e  as cores do material diferentes.

O tamanho da dor de cabeça 

Este único problema fez uma cascata de eventos que comprometeram o tempo previsto, deixaram a mão-de-obra parada, pois a solução passa por uma abertura de reclamação na fábrica do revestimento e para o recebimento do revestimento correto mais 30 dias.

Este período de espera tornou-se algo muito difícil, dada a sequência de eventos, reflexos negativos da espera e tudo que estava perfeitamente previsto, passou a estar em uma situação de imprevisibilidade.

Na análise de cada item, como seria possível resolver cada empecilho criado pelo imprevisto, muitas vezes é como uma queda de dominó, uma peça derruba muitas peças que vão impactar muita coisa pela frente.

Como foi resolvido

Em primeiro lugar foi o contato com a fábrica via revenda, solicitamos a troca, porém parte de um banheiro já estava assentado.

Este foi um problema que demandou uma estratégia, visto que as escolhas de acabamento tinham um propósito que era dar amplitude ao espaço pequeno e trazer mais luz para dentro.

O material assentado era um pouco mais escuro e fazia uma diferença em relação a luz e percepção do espaço.

A minha estratégia foi ampliar o espelho e usar o tampo do lavatório em cor ainda mais clara.

Com esta mudança aprovada pelo cliente, demos continuidade e isto minimizou a perda de tempo que já estava ocorrendo.

Ai veio outra má notícia, a reposição iria demorar 120 dias! 

O casal precisava mudar pois o outro imóvel em que estavam já havia sido alugado.

Ainda bem que estava com tudo sob controle graças a boas decisões de projeto e busca pelos objetivos de buscar a máxima qualidade dos ambientes.

Como o cliente ficou nesta estória 

O cliente ficou feliz, pois seu projeto foi materializado com parte do material diferente da escolha original, mas não houve perda pois o objetivo de projeto foi mantido. Entre outras vantagens de um projeto, está ai mais uma. Ele é a garantia de acerto mesmo se houver algo dando errado pois direciona tudo rumo aos objetivos e problemas a serem resolvidos.

Projeto de iluminação em andamento.

O material iria demorar mas o cliente seria reembolsado pelo erro da fabrica.

Não houve prejuízo, não houve atraso significativo, não houve perda de qualidade do projeto para materialidade.

O berço bicama do bebê ja estava entregue também>

Para se evitar erros e prejuízos é necessário ter um bom projeto com foco em todas as necessidades do cliente. Estar assessorada por profissional com experiência para poder ter as melhores, mais rápidas e eficientes soluções.

Depois deste contratempo que poderia ter dado muitos maus frutos, mas felizmente dado o grau de controle e previsibilidade via bom projeto e estratégias aplicadas, deu tudo certo os serviços seguiram o seu curso, no cronograma, no prazo, sem surpresas desagradáveis no orçamento. Vieram as outras etapas como infra estrutura para ar condicionado, gesso, pintura, marcenaria, acabamentos de pintura, iluminação, até a conclusão com êxito!

Obrigada por estar presente! Espero que tenha gostado. Deixe seu comentário pois e muito importante e não esqueça de compartilhar.

Sentir na pele

(Artigo originalmente publicado no Blog http://www.Soudealgodao.com.br publicado em 3 de Julho de 2020)

Os nossos 5 sentidos nos interconectam com o mundo, poderosos trazem o universo externo para dentro de nós. Vamos entender sobre esta  experiência e ver como melhorar nosso dia-a-dia com eles

Os cinco sentidos são antenas especializadas para reconhecer o mundo ao nosso redor

Nossos olhos nos permitem ver as formas, cores e profundidade, que esta no pano de fundo fazendo isso ser possível e a luz. 

A cor, nos sensibiliza profundamente pelo simples avistar, somos tomados por uma emoção correspondente. Formas arredondadas, orgânicas nos são amistosas, reconhecemos nelas um pouco da natureza, das quais somos parte e por isto amamos estar em ambientes com plantas e formas sinuosas. A profundidade nos dá a experiência de dimensões dos espaços.

A visão  é o nosso sentido dominante segundo estudos, que é capaz de trazer a percepção de texturas sem nem mesmo tocar nas superfícies. A exemplo do padrão de madeira em que reconhecemos seus delicados veios, do rico design da natureza. A visão nos traz o exterior em suas 3 dimensões para o mundo da nossa percepção e emoção.

O olfato que traz a percepção, memórias apenas por aspirarmos uma fragrância, cheirar uma flor, sentir o cheiro de chuva, do café que acabou de ser passado ou do pão  recém assado, nos enchem de sensações nutritivas e positivas.

O paladar que nos coloca a experimentar os sabores, como o doce, o salgado e até a sutileza do sabor da água, que é definida como insípida mas que tem um delicioso doce quando a tomamos, estando sedentos.

A audição, que nos coloca em contato com as vibrações que viajam pela atmosfera e sensibilizam nossos tímpanos, ao ouvirmos nossa musica preferida, a voz da pessoa querida, o rufar de tambores. Este é o mundo das vibrações que nos chegam.

E por fim a fronteira entre nosso interior e o meio externo, 

o tato, a nossa pele, capaz de ler informações de uma delicadeza impar, como o toque suave da mão que afaga, a suavidade de uma pétala de flor, reconhecer temperatura como no toque de um tecido fresco e leve que tocamos.

A riqueza da linguagem captada e decodificada por estas antenas especializadas, chamadas de 5 sentidos, nos provocam sensações e emoções, dão expressão ao universo material que habitamos e enriquecem nosso sentir e por conseguinte nos afiam o discernimento e auxiliam nas nossas escolhas e preferências, por mais rotineiras que elas sejam.

A experiência de sentir na pele

Quero dividir com vocês uma experiência de muito tempo atrás mas que povoa a minha memória afetiva até hoje. 

Após ter comprado um jogo de cama novo, estava feliz por estreiá-lo pois parecia algo muito especial. 

Seu tecido era percal, feito 100% de puro algodão tecido com o número incrível de 400 fios. Estes 400 fios finíssimos são colocados em uma polegada, ou seja 2,54 centímetros, para caber neste pequeno espaço os fios tem que ser finíssimos e muito estáveis, indicam a qualidade da matéria prima que é o algodão, a qualidade do tear e a tecnologia para tecer esta maravilha.

Maravilha, você só saberá realmente o porquê ao sentir na pele este tecido encorpado e acetinado como se fosse uma tecitura de pétalas de flor, suave como elas. 

Ao deitar neste lençol a sensação é semelhante de estar em tapete de milhares delas tocando a sua pele. Há nesta experiência uma sensação de conforto, sendo, fresca no verão e aconchegante no inverno pois as propriedades encantadoras das fibras naturais como a do algodão é esta capacidade de traduzir seu toque em conforto térmico. Fresco no verão e barreira para o calor natural do corpo no inverno.

A linguagem dos sentidos em relação à experiência prazeirosa cria memórias positivas que nos fazem bem por períodos prolongados, pois só de lembrar é possível reviver a experiência e sensação gostosa.

A riqueza da memória construída através de uma experiência prazeirosas

Teríamos aqui uma verdadeira enciclopédia se fossemos detalhar as riquezas comunicadas pelos nossos cinco sentidos, as memórias construídas e o prazer de as rememorar trazendo do passado para o agora ou projetá-las no futuro.

A verdade é que como trabalho há muito tempo com ambientes, em projeto de interiores, o protagonista da estória é o ser humano e saber interpretar este rico universo, é poder acertar aspirações de qualidade de vida, saude e bem estar.

As experiências prazeirosas são como termos muito dinheiro, onde este dinheiro são as boas memórias destas experiências, guardadas no banco, ou na sede das nossas emoções, o nosso coração.

Biofilia e bem-estar

O conceito de biofilia vem de um belo estudo feito por Edward Wilson, que publicou o livro “Biofilia”,  demostrando a necessidade de interação e interdependência das especies. Ai temos que considerar desde a vida microbiana, por exemplo que compõe a micro-biota no nosso intestino e o trabalho que estes micro seres fazem em prol da nossa saude ou o trabalho desta biota na terra que traz fertilidade que são fungos que se associam as raizes das plantas (micorriza) e vão auxiliar a absorção de nutrientes pelas raizes.

Temos que colocarmo-nos dentro deste enorme ecossistema, que contem a micro-vida, os animais, vegetais, humanos, o clima, o planeta.

Este sistema da natureza, onde todos fazem uma parte que beneficia uns aos outros.

Reforçar a nossa ligação com o que vem da natureza, auxilia nosso bem-estar e qualidade de vida. 

As memórias que nos enriquecem e nos tornam mais felizes

A ligação que temos com a natureza é  inquebrantável ou seja não pode ser quebrada, há uma relação de dependência que quando estamos próximos dela estamos saudáveis e felizes, isto tudo tem amparo e estudos científicos da melhor qualidade para nos comprovar e reforçar esta relação. 

Reforçar a estimulação de produção de neurotransmissores como a serotonina, dopamina, endorfinas, são substancias relacionadas com a sensação de bem-estar e prazer. E saiba que somente de recordar-se de bons momentos você já libera mais serotonina que também é chamada de hormônio da felicidade.

Por isto quiz dividir com vocês esta memória passada, tão preciosa do efeito de pétalas de flores, produzido pelo tecido de fibras de algodão que não por acaso são fibras naturais, tecidas com tecnologia e competência, que com toda a certeza envolveu o trabalho da mãe natureza, de muita gente bacana que lida com o cultivo desta fibra tão versátil, até ela chegar na casa da gente e fazer  moradia no nosso coração.

Deixe seu comentário sobre algo que ficou na sua memória, como uma música, uma textura, cheiro ou cor.

Contato